Passaporte carimbado

A primeira vez que saí do Brasil foi em setembro de 2002, quando me mudei pra Nova York. Antes disso, nunca tinha feito uma viagem internacional. Mesmo assim me sentia muito privilegiada de ter a oportunidade de morar fora com apenas 16 anos.

O passaporte do Gabriel deve ter mais carimbos que 95 % da população mundial e ainda não conheci a criança de 6 anos que já viajou mais do que ele. A Caterina com 3 meses, conheceu o Mercado Central de Belo Horizonte. Com 4 meses, viajou 14 horas de carro pra visitar o Millenium Park em Chicago e com os mesmos 4 meses foi pra Barcelona, e seus arredores.

Gabriel tem 3 passaportes. Brasileiro, Americano e Europeu. Quando crescer, vai ter a possibilidade de morar e trabalhar em quase qualquer lugar do mundo. Ele fala português e inglês fluente. Entende Polonês, e pra piorar (ou melhorar) a situação foi alfabetizado em Catalão. Nessas férias, treinou o espanhol e aprendeu francês no Iphone do vovô.

Ele já nadou com peixinhos coloridos e estrelas do mar no Caribe, pôs os pézinhos na água gelada do mediterraneo na França,viu golfinhos no parque aquático da Catalunia e passou ferias na casa de praia da Ester em Sant pol de mar,na Espanha.

Já nadou em Miami beach, fez amigos e dividiu lulas fritas na armação de Búzios. Comeu os famosos “hot dogs” de Coney Island no Brookyln e foi até na super badalada Venice Beach na California na barriga da mamãe. Nadou no México, na piscina do Pampulha Iate Clube em Belo Horizonte e o mais impressionante de todos- catou pedrinha no lago Paranoá em Brasília.

No último dia de aula, antes das férias de verão, meu filho estava conversando com a mãe de um coleguinha. E a conversa foi mais ou menos assim:

Mãe do menino: – What are you doing this summer ?
Gabriel: I am going to Spain……..maybe France.
Mãe do menino: – Oh, I see. My kid is lucky if we go to New Jersey.

Fico pensando o que passa pela cabeça do menino. Para ele, ir pra Espanha e talvez pra França no verão, é muito normal. Tão normal como almoçar em restaurante chinês, japonês e indiano. Ver o messi jogar no Camp Nou em Barcelona com 6 anos e com 3 ir no Yankee Stadium ver o A-Rod “hit a Home Run”.

Me pergunto como vão crescer esses meus filhos, criados nesse mundo mundial. O primeiro endereço da Caterina é na Wall Street. E ontem quando fomos pescar no Hudson River , a estátua de Liberdade estava no fundo. Espero que eles entendam e apreciem essa vida tão diferente e tão normal assim.


© Isadora Versiani Via Iphone

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Barcelona, big brother, Chicago, Férias, futebol, little sister, piscina, verão, viagem

5 Respostas para “Passaporte carimbado

  1. Anita

    David says: “They will appreciate it, because you do.”

    Saudades. Essa vida deles é muito maluca mesmo. Mas linda e completamente deliciosa!

    Parabéns pelos grandes pequenos! E vamos nos ver logo!

    Beijos mil!!

  2. renata

    adorei o texto isa! como minha mãe disse, digno de um jornalista!
    bjs

  3. Chris

    I honestly doubt he knows how lucky he is right now but do believe that he will when he looks back on his life… It was an amazing weekend but sad that we didn’t catch any fish. 😦

  4. Claudio Versiani

    Gabrielzinho precisa saber que a vida é como uma pescaria. Um dia o mar está pra peixe e noutro não se pesca nada. Têm que ralar!
    O texto está pra lá de bacana.
    Bjos.

  5. É, a vida não é fácil mesmo não. Gabriel sabe que em NY é bacana, mas é preciso ralar. Ontem mesmo, estava limpando a mesa, coisa de ajudante atrapalhante. Beijos para todos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s